Espectador ganha o centro do palco em Cartas de Amor – Electropoprockoperamusical

2 dez

Maurício Mellone* (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Depois de se apresentar em Brasília e Rio de Janeiro no ano passado, o espetáculo chega à cidade para duas temporadas no CCBB, a primeira até o dia 15 de dezembro e no ano que vem, de 11 de janeiro a 2 de fevereiro

"Cartas de Amor - Electropoprockoperamusical" - foto Guga Melgar

SÃO PAULO – Uma experiência inusitada: o espectador entra no teatro do CCBB-SP e é encaminhado para o centro do palco, com pequenos módulos dispostos aleatoriamente no espaço, com folhas secas jogadas no chão. Ao redor, quatro telões de vídeo e dois quartos, cada um com cama e uma pequena estante com monitor de vídeo. Os atores recebem as pessoas e indicam onde devem se sentar. Percebe-se então que o público fica onde seria a sala daquela casa semi-abandonada. Aos poucos, os atores se dirigem aos espectadores e recitam pequenos versos de amor ao pé do ouvido. Pronto, o clima está estabelecido para que Cartas de Amor – Electropoprockoperamusical tenha início.

As 14 instalações musicais — rock, pop, MPB— tratam de relações amorosas e conduzem a peça. O roteiro e as letras das músicas, de Flavio Graff, foram criados a partir de histórias encontradas em cartas de amigos dos componentes do grupo, em feiras de antiguidades, além de poemas e referências pessoais de Graff, que também assina a direção ao lado de Emílio de Mello.

Interpretando as canções e os esquetes estão Dedina Bernardelli, Felipe Storino, Fernando Alves Pinto e o próprio Flavio Graff.

"Cartas de Amor - Electropoprockoperamusical" - foto Guga Melgar

Ao mesmo tempo em que as canções começam a ser interpretadas pelos atores, nos telões há vídeos que também relatam histórias de amor, que podem se referir ao que está sendo apresentado no palco ou não. Música, vídeo, dança, instalação, performance, tudo acontece ao mesmo tempo e como o espectador está no palco (não consegue assistir a tudo o que acontece) é obrigado a criar/montar o próprio roteiro.

A identificação do público com o espetáculo é imediata: além de estar no centro da cena (em determinado momento interage com os atores, que oferecem vinho e doces), o amor é nossa razão de viver. Todo mundo vive, já viveu ou vai viver alguma história de amor. Encontro, desencontro, traição, abandono, desilusão, encantamento, união, fascínio, amor e dores de amor, estes os temas levantados nas canções e esquetes do espetáculo.

O idealizador do projeto conta como tudo começou: “Com Felipe Storino, que é o diretor musical e autor das músicas, tivemos um processo longo de pensar a relação cênica entre música, artes visuais, cinema e vídeo clipe. O espetáculo propõe o cruzamento destas diversas áreas artísticas e cria um vídeo clipe cênico, em que o espectador é o autor da própria história, juntando as imagens e relacionando-as,” esclarece Flavio Graff.

O tom inicial do espetáculo é sombrio e impactante, já que o roteiro dá ênfase para as dificuldades da relação amorosa, as dores de amor. No entanto, as músicas também retratam o encontro de almas e a união entre o casal; nesse momento há uma descontração, o público até relaxa, otom alegre, despojado e contagiante dos cariocas define a montagem de Cartas de Amor – Electropoprockoperamusical.

Roteiro:
Cartas de Amor – Electropoprockoperamusical
. Roteiro, letras e direção: Flavio Graff. Co-direção: Emilio de Mello. Elenco: Dedina Bernardelli, Felipe Storino, Fernando Alves Pinto e Flavio Graff. Direção musical e música original: Felipe Storino. Coreografias: Marcia Rubin. Direção de arte e cenografia: Ronald Teixeira e Flavio Graff. Vídeoarte: Rodrigo Ponichi e Luan Baptista. Produção de vídeo: July Ferré. Figurinos: Ronald Teixeira. Iluminação: Renato Machado. Filme Rose Hanie – a partir da obra de Kahlil Gibran – Intérpretes – Adriano Garib e Otto Jr. Fotografia: Filme Rose Hanie: Daniel Neves e Rodrigo Ponichi. Realização: Pow Produções e Eventos

Serviço:
Centro Cultural Banco do Brasil (65 lugares), Rua Álvares Penteado, 112. Informações: 3113-3651. Quartas e quintas, às 19h e 21h. Ingressos: R$ 6. Duração: 75 minutos.Recomendação: 14 anos. Bilheteria: de terça a domingo das 9h às 21h. Acesso para pessoas com deficiência. Estacionamento conveniado: Estapar – Rua da Consolação, 228 – Edifício Zarvos. Transporte gratuito (Van) até as proximidades do CCBB. Temporada: até 15 de dezembro; em 2012 será de 11/01 a 02/02

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: