Crítica de A Partilha por Macksen Luiz

18 ago

Macksen Luiz, do Blog do Macksen Luiz, parceiro do Aplauso Brasil (macksenr@gmail.com)

21 anos depois de sua estreia "A Partilha", texto e direção de Miguel Falabella, volta aos palcos, em re-estreia comemorativa

RIO DE JANEIRO – Há 22 anos estreava no Teatro Cândido Mendes uma modesta produção com quarto atrizes, a maioria delas conhecida pela televisão, que lançava o primeiro texto de maior fôlego de Miguel Falabella, A Partilha. A repercussão crítica e popular desta habilidosa comédia dramática de Falabella, que foi vista por milhares de espectadores, excursionou pelo país durante anos e foi levada ao cinema, agora ganha nova temporada no Teatro Oi Casa Grande.

Nesta revisão, confirmam-se suas qualidades, reitera-se a sensibilidade do autor para o universo feminino e para comédia de costumes da classe média. Ao escrever sobre o texto na época, dizia que A Partilha é uma peça simples na qual quatro irmãs se encontram no velório da mãe. retomando pela circunstância da morte (o fim de um tempo) o passado comum. A divisão dos bens, deixados pela morta, acentua as diferenças entre elas e o início de possíveis transformações, lançando-as num jogo em que a crueldade serve de estímulo para que, da divisão, cheguem à unidade, simbolizada pelo conjuntinho de café da Toddy, objeto da união afetiva.

Não é fácil trabalhar planos tão sutis quanto os da emotividade e do riso. Um velório pode ser cenário para o humor, tanto quanto a lágrima que devolve vivências. Os objetos, desmembrados para se transformarem em dinheiro, não têm apenas o valor passível de ser contabilizado monetariamente. São sinais evidentes de expressões afetivas. Miguel Falabella administra essas realidades dramáticas com exemplar delicadeza ao contar história para encontrar as motivações das personagens. Falabella sente a alma feminina. Além dessa enorme sensibilidade do autor para captar as recorrências das emoções, A Partilha demonstra ser uma peça com excelente bom humor. O riso acompanha a história suavemente ácida dessas mulheres. O seu melhor sabor é o agridoce. O seu melhor aroma é o amoroso.

Miguel Falabella assina a direção da peça que o projetou como um dos nomes mais significativos da dramaturgia contemporânea brasileira

A montagem de Miguel Falabella que se encaixava tão bem no Cândido Mendes (o tamanho do teatro envolvia o intimismo do texto) poderia ter se esgarçado no amplo palco do Casa Grande e, deste modo, perdido a sua real medida. Mesmo que tenha sido necessário o uso de microfones pelas atrizes e que o cenário tenha se expandido para a adequação à embocadura do palco, a segurança do diretor, agora acrescida da maturidade, fica confirmada. Miguel Falabella passeia pelo seu texto, impondo poucas ou quase nenhuma novidade à sua direção original, preservando aquilo que a peça tinha de mais atraente, aparando aquilo que tinha de menos resolvido.

Cenário e iluminação funcionam, apenas o figurino, em especial o da personagem de Susana Vieira  se mostra exageradamente infeliz.

O quarteto de atrizes – Arlete Salles, Susana Vieira, Patrycia Travassos e Thereza Piffer -, praticamente o mesmo de há duas décadas, não tem dificuldade de reproduzir os bons desempenhos do passado, compensando o inevitável passar do tempo com certa malícia de o incorporar com pequenos detalhes críticos. A Partilha,neste nostálgico revival, demonstra-se certeira lembrança para o público. A Partilha

Estreia no dia 03 de Agosto no Teatro Oi Casa Grande, no Rio de Janeiro-Rua Afrânio de Melo Franco 290, Leblon – Rio de janeiro, RJ.

Preços:

5ª E 6ªR$ 100,00 (PLATEIA VIP E CAMAROTE)
R$ 80,00 (PLATEIA SETOR 1) R$ 60,00 (BALCÃO SETOR 2) R$ 40,00 (BALCÃO SETOR 3) SAB E DOM R$ 120,00 (PLATEIA VIP E CAMAROTE)
R$ 100,00 (PLATEIA SETOR 1) R$ 80,00 (BALCÃO SETOR 2)
R$ 60,00 (BALCÃO SETOR 3)

Bilheteria:

Novos horários da bilheteria: 3af e 4af – 15h / 20h
5af e 6af – 15h / 22h.Sábado – 15h / 22:30h
Domingo – 15h / 20:30h

Uma resposta to “Crítica de A Partilha por Macksen Luiz”

  1. Marísia Lara 6 de setembro de 2012 às 2:14 PM #

    Se possível gostaria de ter uma ajuda.Estive no Rio e assisti a peça Partilha e adorei a música do primeiro ato onde as filhas estão no velório da mãe.É possível vocês me informarem o nome do cantor e da música. Ficarei grata!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: