Capão Redondo recebe espetáculos de dança gratuitos

5 set

Redação do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Marchas"

SÃO PAULO – O espaço cultural Ninho Sansacroma, localizado no bairro Capão Redondo, periferia paulistana, recebe 16 curtas temporadas de espetáculos de dança, três oficinas e três encontros com profissionais da área, a partir desta quinta-feira (6).

"PartiDança"

Marchas, da Cia. Sansacroma, que abre a programação, traz uma coreografia inspirada na filosofia de vida do professor Paulo Freire, que sempre exerceu a autonomia nas suas realizações pessoais e profissionais. As sessões ocorrem nesta quinta (6) e sábado (8), às 20h, e domingo (9), às 19h.

A grade de programação, elaborada pela bailarina, coreógrafa e diretora Gal Martins, é um passo importante para enfatizar a importância do movimento denominado ¨ cultura periférica¨, que coloca em evidência o talento de artistas que habitam a periferia e cresce a cada dia.

"Azul da Carne"

Também faz parte do projeto ações educativas que visam à divulgação do espaço cultural Ninho Sansacroma e a formação de público. O Núcleo de Democratização Cultural realiza visitas familiares com o intuito de apresentar a agenda cultural do espaço culturale pretende estabelecer contatos com os representantes de ONGs, escolas e de movimentos culturais da cidade.

Os eventos foram viabilizados graças ao Prêmio Procultura – Programação de Espaço Cênico, e o objetivo é promover o intercâmbio entre os artistas locais e artistas de outras localidades da capital paulista.

"Marchas"

PROGRAMAÇÃO DE SETEMBRO:

MARCHAS – Cia. Sansacroma

6, 7 e 9 de setembro de 2012

Quinta e sexta às 20h e domingo às 19h

16 anos, 55 min

SINOPSE

Na vida do filósofo e educador Paulo Freire a palavra “autonomia” sempre foi regra, e não exceção. A necessidade pela autonomia moveu-o, ainda criança, a iniciar sua própria alfabetização utilizando gravetos e escrevendo no chão, debaixo de uma mangueira. Essa condição de escolher as leis que regiam seu próprio destino é o que inspirou a diretora artística Gal Martins, da Cia Sansacroma, a criar o espetáculo MARCHAS

FICHA TÉCNICA

Direção Artística: Gal Martins Direção Coreográfica: Ivan Bernardelli Coreografias: Gal Martins, Ivan Bernardelli e elenco Preparação Corporal: Ivan Bernardelli Figurino: Mariana Farcetta Trilha Sonora: Cláudio Miranda e Ivan Bernardelli Cenário: Gal Martins, Ivan Bernardelli e Mariana FarcettaPilates: Priscila Lima Intérpretes Criadores: Rafael Edgar, Renato Alves, Tamires Ballarini, Thaís Antunes e Thaís Ponzoni Estagiário: Alex Guimarães Arte Gráfica: Welton Silva Fotógrafo: Érick Diniz Direção de Produção: Radar Cultural

UMA PARTIDANÇA DE FUTEBOL – Grupo Ximbra

13, 15 e 16 de setembro de 2012

Quinta e sábado às 20h e domingo às 19h

Livre, 35 min

SINOPSE

O espetáculo combina a dança com aspectos do futebol e sua inserção no cotidiano do povo brasileiro – como a pelada de final de semana – e sobrepõe elementos de um contexto de guerra, de história e de relações pessoais, criando um repertório gestual bastante coeso e singular. Mescla das danças urbanas e contemporâneas com o futebol o espetáculo surge dinâmico e criativo.

FICHA TÉCNICA

Dançarinos Edson Lima, Marcio Greyk, Barbara Santos, Davi Castro e Danilo Nonato Operador de luz Rafael Oliveira Operador de som Edi Oliveira Contra regra Janderson Sanches Coreógrafo Edson Lima Direção geral Edson Lima

PARA VER O AZUL DA CARNE De Erica Tessarolo

21, 22 e23 de setembro de 2012

Sexta e sábado às 20h e domingo às 19h

14 anos, 40 min

SINOPSE

Conceitualmente, para conceber o espetáculo PARA VER O AZUL DA CARNE, Érica Tessarolo, dançarina e artista plástica, olhou para a obra Três Estudos para Figuras ao pé de uma Crucificação, do pintor irlandês Francis Bacon, buscando possibilidades para uma investigação de movimento e coreografia.

A crucificação, o grito, o isolamento, a deformação da figura e as carnes são temas recorrentes na obra de Bacon, mas sempre tratados de modo inusitado e muito particular. Nesse tríptico, por exemplo, a carne não é vermelha e a crucificação independe da existência de uma cruz, como a associação imediata que se faz. Dessa forma, suas carnes azuladas sugeriram a Érica Tessaroloa cor azul como uma metáfora para sua dança, alimentando a busca pelo inusitado do seu corpo, o “azul da sua carne”.

FICHA TÉCNICA

Dança: Érica Tessarolo Música: Daniel Dias Luz: André Prado Figurino: Mariana Costa

Fotografia: Cris Lyra Design gráfico: Juliana Silva Produção Executiva: Alessandra Souza

Serviço:

Ninho Sansacroma:

Rua Dr. Luís da Fonseca, 248 – Parque Maria Helena – Capão Redondo (100mts do Metrô Capão)

Tel de informações: 011 5511-0055

Entrada franca

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: