Tag Archives: casa

Cibele Forjaz abre ensaios de novo espetáculo da Cia. Livre

7 fev

Redação do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

A diretora Cibele Forjaz

SÃO PAULO – A Cia Livre, de Cibele Forjaz, faz ensaio aberto do novo espetáculo A Travessia da Calunga Grande, nas duas próximas quintas-feiras (9 e 16), às 18 horas, no Galpão do SESC Pompeia e na Casa Livre, respectivamente.  A peça estreia para público dia 9 de março, no Galpão do SESC Pompeia.

Com dramaturgia de Gabriela Almeida, em processo colaborativo com a Cia. Livre e direção artística de Cibele Forjaz, a peça é baseada em Édipo Rei, de Sófocles, sob a ótica das relações entre África e Brasil.

O espetáculo e o projeto de pesquisa, tem patrocínio da Petrobrás e é contemplado pelo Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo.

Gabriel Villela mostra uma casa mineira que revela o que há por baixo dos panos

16 set

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (aplauso@gmail.com)

O romance de Lúcio Cardoso, Crônica da Casa Assassinada, considerado a obra-prima do autor mineiro, serve de base para que o diretor Gabriel Villela lance seu olhar sobre a hipocrisia família versus sociedade revelando o que há por debaixo dos panos em versão teatral homônima, com dramaturgia de Dib Carneiro Neto, que estreia hoje, 21h, no Teatro do SESC Vila Mariana.

“É um drama contemporâneo que tem dois pólos: o feudo familiar e o feudo externo – da sociedade”, sintetiza o encenador Gabriel Villela.

A trama gira em torno da família Menezes e dos que habitam o casarão da abastada família que vive do arrendamento do pasto de sua propriedade: três filhos, duas cunhadas e uma empregada. Como o livro de Lúcio Cardoso é composto por cartas de um personagem para o outro, o dramaturgo dividiu os personagens em dois nichos: o interno (aqueles que vivem no casarão) e o externo (as “vozes da sociedade”, formada por três narradores que representam diferentes, um Farmacêutico, um Padre e um Médico.

“O Dib (dramaturgo da peça) colocou uma lente de aumento na obra-prima de Lúcio Cardoso cuja casa é a protagonista. Ali, na casa, se escondem segredos, as loucuras e neuroses de uma família. Segredos que são comentados e narrados por três personagens de fora: um médico (que representa a ciência), um padre (que personaliza a religião) e um enfermeiro (o fofoqueiro que quer se aproveitar dessa família rica), e todos os fatos não seguem uma ordem cronológica. È como um quebra-cabeças que faz sentido aos poucos. Há uma polifonia – personagens situados em tempos diferentes da história falam em primeira pessoa e ao mesmo tempo, por exemplo”, explica Gabriel Villela. Continue lendo

Tereza Salgueiro veleja sob um oceano musical

30 nov

Edson Júnior, especial para o Aplauso Brasil (edson@aplausobrasil.com)

Tereza Salgueiro apresenta "Voltarei a Minha Terra" no Rio de Janeiro

Portugal aportou no Teatro Alfa para duas apresentações do show “Voltarei a minha Terra” pelas mãos delicadas e seguras de Tereza salgueiro.  Consagrada como vocalista do conjunto lusitano Madredeus, Tereza segue com seu quarteto para o Rio de Janeiro onde se apresenta apenas amanhã, no Teatro Oi Casa Grande. Sem dúvida, um programa imperdível.

A soprano conduziu o cancioneiro de sua pátria esquadrinhando os  ritmos, melodias e tradições desde a idade média à atualidade.  Contudo, o peso quase enciclopédico de tantos anos de música suavizou-se na emissão precisa e interpretação generosa que não poupou um certo didatismo. Bem vindo, pois a platéia aprendeu mais inclusive sobre a diferença do fado cantado em Lisboa e Coimbra, e a explicação diminuiu um possível hiato sonoro, já que em nosso cotidiano outro idioma bem mais estrangeiro domina as rádios e as lojas de discos. Continue lendo

Isabel Teixeira apresenta “risco cênico” no último mês de gestação

2 nov

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

“Objeto-Conferência para Inventário Inacabado”, na Casa Livre toda terça

SÃO PAULO – Sim, a atriz Isabel Teixeira, quem venceu o Prêmio Shell de Teatro (2008-SP) pela interpretação em “Rainha [(S)]…”, volta à cena no último mês de gestação de seu segundo filho. Quem dirige o que ela denomina de “risco cênico” é Cibele Forjaz quem, também, estará em cena. “Objeto-Conferência para Inventário Inacabado” estreia hoje, às 21h, na Casa Livre, sede da Cia. Livre.

A peça apresentada sempre às terças-feiras terá apenas seis apresentações na sede da Cia. Livre (patrocinada pela Petrobrás) e é uma co-produção desta com a Arquivivo Produções, de Isabel Teixeira, ex-integrante do grupo.

Segundo o material de divulgação, a dramaturgia da peça só se completa com a presença do público, daí a necessidade de abrir o espetáculo ao público antes mesmo de sua finalização. Continue lendo