Tag Archives: fernando

O Mistério Bufo faz temporada na Galeria Olido

29 ago

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Peça de Maiakóvski volta em temporada popular

SÃO PAULO – Depois de uma temporada no Teatro João Caetano, com sucesso de público, o espetáculo O Mistério Bufo, texto de Maiakóvski dirigido por Fernando Neves, faz nova temporada popular, agora na Galeria Olido. A re-estreia é sexta-feira (31), às 20h.

No palco, os jovens atores da Academia de Palhaços encenam o texto que Maiakóvski criou em comemoração ao primeiro aniversário da Revolução Comunista na Rússia (1918).

O Mistério Bufo é o resultado de uma pesquisa sobre o palhaço brasileiro e o circo-teatro. Com abuso do escravo e fazendo uso do deboche, a peça faz críticas sociais através da aventura vivida por sobreviventes de um apocalipse revolucionário. Continue lendo

Lília Cabral celebra grande encontro em sua terra natal

9 ago

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/ iG (Michel@aplausobrasil.com)

Lília Cabral é "Maria do Caritó" - foto de Claudia Ribeiro

SÃO PAULO – Não é apenas a estreia de Maria do Caritó, escrita por Newton Moreno e dirigida por João Fonseca, que chega ao Teatro Faap na próxima sexta-feira (10), depois de quase dois anos de distancia de sua estreia e temporada carioca, que é motivo de festa para Lília Cabral, personagem título da peça. Nascida na Lapa, capital paulista, ela re-encontra no palco “dois grandes amigos”: os atores Fernando Neves e Sílvia Poggetti.

Lília Cabral é "Maria do Caritó" - foto de Claudia Ribeiro

Além dos dois atores, J.C. Serroni (quem assina os figurinos do espetáculo) também integra a trupe de Maria do Caritó. Eles se conheceram no final dos anos 1970, no campus da USP. Lília iniciava carreira cursando a Escola de Artes Dramáticas (EAD). Trabalharam juntos em um grupo e depois cada um deu diferente rumo a sua carreira, “apesar de manterem a amizade, sempre nos comunicando”, segundo Lília Cabral, não voltaram a trabalhar juntos, até que a atriz “encomendou” um texto a Newton Moreno:

“Encomendei uma peça ao Newton e o único pedido que fiz foi que ele criasse um personagem para a Sílvia e o Fernando. Ele me entregou o texto e assim que acabei de ler liguei para a Maria (Siman, produtora de Maria do Caritó) e disse que tínhamos um pequeno tesouro nas mãos”, conta a atriz.

Newton Moreno, pernambucano, um dos fundadores do grupo Os Fofos Encenam – do qual Neves, Poggetti e Eduardo Reyes fazem parte –, escreveu, com enorme sucesso, Agreste e As Centenárias, além de adaptar e dirigir Assombrações do Recife Velho e Memória da Cana que, também localizam seus personagens no sertão nordestino e o texto de Maria do Caritó, localizada  no interior do nordeste, traz a mesma poesia da simplicidade focada pelas talentosas lentes do autor.

À beira de completar seu 50ª aniversário, Maria deseja cair nos braços de um amor e se livrar do Caritó – segundo explicação de Newton, “Caritó é uma das prateleiras do mobiliário nordestino que fica escondida o suficiente para que as mães escondam remédios, tesoura, entre outros, de seus filhos. No interior do nordeste, Caritó é o apelido dado às solteironas” –, mas enfrenta a sina de cumprir a promessa de seu pai – a entregar virgem a São Djalminha pela graça de tê-la salvo da morte em seu parto, que custou a vida da mãe – e a “fama” de santa, concedida pelo povo de sua cidade. Até que chega à cidade um circo e seu picadeiro reserva múltiplas surpresas que revelam verdades guardadas em umCaritó que revira a vida de Maria. Continue lendo

Mistério Buffo traz jovens atores aos palcos paulistanos

6 jul

Nanda Rovere, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

"Misterio Buffo"

SÃO PAULO – Academia de Palhaços é um grupo formado por alunos da Unicamp que se formaram em 2010 e agora trazem à capital paulista Mistério Buffo, montagem contemplada pelo Programa de Ação Cultural da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo – Concurso de Apoio a Projetos de Produção e Espetáculo Inédito de Teatro. A direção é de Fernando Neves. Cenografia, Visagismo e Figurinos são assinados por Leopoldo Pacheco e Carol Badra. O texto, do dramaturgo Russo Vladimir Maiakóvski, foi adaptado para a realidade brasileira por Laíza Dantas.

Mistério Buffo é o resultado de uma pesquisa realizada sobre as técnicas do palhaço e o universo circense. A participação de Neves na produção é apropriada, visto que o ator e diretor é descendente da Família Neves, uma das mais tradicionais do circo-teatro brasileiro.

Na peça, os atores interpretam diversos personagens, demonstrando versatilidade. Cantam com competência e têm a tarefa de realizar trocas de roupas muito rápidas e transmitir à plateia a alegria do universo circense. Continue lendo

FIT – BH: Lisboa por Fernando Pessoa nas ruas de Minas

16 jun

Nanda Rovere, do www.mondobhz.com.br/fit-bh-2012, parceiro do Aplauso Brasil na cobertura do FIT- BH

Peça leva a bicicleta do palco para passear nas ruas, conduzida por Fernando Pessoa.

BELO HORIZONTE – Do uso da bicicleta no espetáculo Abito, o grupo Fondazione teve a ideia de fazer uma intervenção cênica que levasse esse objeto para as ruas, eis a gênese de Lisboa que a Fondazione Pontedera (Itália) apresenta no FIT – BH.

A ideia do texto é baseada num livro de Fernando Pessoa que é, na verdade, um guia cultural da capital portuguesa. No enredo, Pessoa chega a Belo Horizonte, encontra os seus heterônimos de bicicleta e os acompanha pelas ruas da cidade, a qual se transforma numa Lisboa imaginária e lírica.

Onze músicos-atores estarão trajando um elegante figurino preto e realizarão ações acrobáticas corporais com as bicicletas. Lisboa já foi apresentada na Dinamarca e, após o FIT, continuará a viajar, passando pela Itália.

DETALHES

Lisboa / Grupo: Fondazione Pontedera Teatro (Itália) / Apresentações: Domingo/ 17/junho/ 10h / Praça Professor Godoy Betônico / Museu Histórico Abílio Barreto – Segunda-feira/ 18/junho/ 16h / Praça Floriano Peixoto / Terça-feira/ 19/junho / 14h / Praça Duque de Caxias (Praça de Santa Tereza)

7º Festival Palco Giratório começa em maio

17 abr

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

Festival Palco Giratório abre vendas dia 23

PORTO ALEGRE – O Festival Palco Giratório SESC/POA chega a sua sétima edição este ano, trazendo à capital gaúcha mais de 100 ações culturais entre espetáculos, atividades formativas, palestras e exposições. Serão 46 espetáculos de 41 grupos, 81 sessões e a vinda de artistas de 11 estados brasileiros e três países.

O evento, que já se tornou um marco do calendário cultural de Porto Alegre, acontece entre os dias 04 e 27 de maio e vai movimentar a cena cultural da cidade, promovendo um intercâmbio entre artistas de 11 estados brasileiros, além do elo cultural com a Dinamarca, que estará presente no Festival por meio da participação do Odin Teatret.

Cia. baiana apresenta "Pólvora e Poesia", de Alcides Nogueira e direção de Fernando Guerreiro

Entre os destaques desta edição estão dois espetáculos do grupo dinamarquês: As Grandes Cidades sob a Lua e Ode ao Progresso , o monólogo Depois do Filme, que marca a volta aos palcos do diretor Aderbal Freire Filho, as premiadas encenações Oxigênio, da Cia Brasileira de Teatro, e Luis Antônio Gabriela, da Cia Mungunzá. Também chegará na programação do circuito a encenação baiana de Pólvora e Poesia, primoroso texto de Alcides Nogueira, que recebeu a direção de Fernando Guerreiro e está há dois anos em cartaz, sendo  considerada como uma das grandes montagens do teatro baiano dos últimos anos.

Haverá na programação do evento a Residência Artística com o consagrado  Odin Teatret e uma palestra  sobre A Organização e Cultura do Odin Teatret, com Anne Savage.

A programação completa do 7º Festival Palco Giratório SESC/POA pode ser conferida no site www.sesc-rs.com.br/palcogiratorio.

INGRESSOS:

Venda de ingressos antecipados de 23/04 a 27/05

Ponto de Venda para Ingressos Antecipados: SAC (Setor de Atendimento ao Cliente) Unidade Sesc Centro – Av Alberto Bins,665

Nas bilheterias dos espaços, conforme disponibilidade, no dia da apresentação, com 1 hora de antecedência.

Atendimento: segunda a sexta das 8h às 19h45 e até às 12h para a *apresentação do dia.

Atendimento para Apresentação do Dia: Após às 12h e havendo ingressos disponíveis, a venda ocorre somente no local de cada apresentação uma hora antes do início do espetáculo.

* Para o espetáculo Breves Entrevistas com Homens Hediondos – Venda somente nos dias e no local das apresentações

Valores: R$ 5 a R$ 20

R$ 20,00 público em geral

R$ 10,00 para estudantes, maiores de 60 anos, classe artística e empresários com cartão SESC

R$ 5,00 para COMERCIÁRIOS e dependentes*

*COMERCIÁRIOS (titulares e dependentes): mediante apresentação do cartão SESC e somente um ingresso por espetáculo para cada cartão.

Formas de pagamento na compra antecipada:

Dinheiro

Cheque à vista, cartão débito ou crédito (visa; mastercard e amex)

Formas de pagamento para compra na hora: somente pagamento em dinheiro

Informações sobre a venda de ingressos e de toda a Programação do Festival: (51) 3284 2070.

ESPETÁCULOS COM ENTRADA FRANCA: Acesso mediante distribuição de senhas somente no local e no dia do evento, uma hora antes de cada apresentação.

Atenção: Acesso a espetáculos em Escolas Públicas é necessário agendamento prévio.

ACESSO PALESTRAS, MESAS REDONDAS E SESSÕES DE FILMES:

Acesso livre conforme ordem de chegada e sujeito a lotação do espaço. (abertura de portas 30 minutos de antecedência)

*Atenção: para a Palestra com o Eugênio Barba ocorrerá distribuição de senhas somente no local e no dia do evento, uma hora antes da atividade.

Oficinas:

Para Oficina de Montagem Abre-Alas (Lume Teatro):

50 vagas disponíveis

Período de envio: de 23/04 a 15/05, seleção por ordem de envio.

Acesso a oficinas:

Inscrições gratuitas de 23/04 até 07 de Maio. Os interessados devem enviar e-mail para festival@sesc-rs.com.br , com as seguintes Informações: Nome Completo, Endereço, Telefone, E-mail e breve currículo ou carta de intenção para análise.

Aguardar retorno de confirmação, por e-mail, até 2 dias anteriores a atividade. O envio da Inscrição não garante a participação nas atividades, somente o e-mail de confirmação enviado pela produção do Festival.

Conferências, Palestras e oficinas:

Acesso livre, conforme lotação do espaço.

Locais de realização:

* Teatro Sesc Centro: Av. Alberto Bins, 665 (Fone: 51 3284-2070)

* Café Sesc Centro: Av. Alberto Bins, 665 (Fone: 51 3284-2070)

* Theatro São Pedro: Praça Marechal Deodoro, s/n – (Fone: 51 3227-5100)

* Teatro Renascença: Av. Érico Veríssimo, 307 (Fone: 51 3289-8066)

* Sala Álvaro Moreyra: Av. Erico Veríssimo, 307 (Fone: 51 3289-8066)

* Teatro de Câmara Túlio Piva: R. da República, 575 (Fone: 51 3289-8093)

* Sala Carlos Carvalho – Casa de Cultura Mário Quintana: R. dos Andradas, 736

* Teatro do Museu: Rua Dos Andradas, 230 (Fone: 3227 5196)

* Sala Alziro Azevedo – UFRGS: R. General Vitorino, 255 (Fone: 3308 4374)

* Casa de Teatro: R. Garibaldi, 853 (Fone: 3029 9292)

* CMTE Paulo Freire: R. Santa Terezinha, 572 – Santana

* Escola Municipal Grande Oriente: R. Wolfran Metzler, 600 – Rubem Berta (Fone: 3366 1602)

* Circo Girassol: R. Doutor Sinval Saldanha, 286 – Bom Jesus (Fone: 3387 8595)

* Largo Glênio Peres

* Rua dos Andradas

* Estacionamento da Usina do Gasômetro

* Esquina Democrática

* Largo Zumbi dos Palmares

* Parque Farroupilha

Neyde Veneziano dirige LaMínima em comédia de Dario Fo

21 mar

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

"Mistero Buffo" - foto de Carlos Gueller

SÃO PAULO – Duas potências no quesito teatro cômico brasileiro, a diretora Neyde Veneziano e a trupe LaMínima (que celebra 15 anos de existência), encontram-se a partir de amanhã juntas em peça do italiano Dario Fo (leia-se Fó), Mistero Buffo, no Teatro Popular do SESI.

Num didatismo agradável, o público – parte dele disposto em arquibancadas armadas no palco que torna-se semi arena e dá o tom de espetáculo circense – recebe os atores-saltimbancos da companhia LaMínima, Domingos Montagner e Fernando Sampaio, acompanhados pelo ator convidado Fernando Paz que apresentam o que o público assistirá aquela noite, além de dizer de onde vem esse estilo teatral que Mistero Buffo representa: mistérios medievais tratados em tom satírico colhidos e transformados por Fo.

Episódios encontrados nas sagradas escrituras, como a ressurreição de Lázaro, tomam no texto dimensões de ácida crítica social. Continue lendo

Leia entrevista com Neyde Veneziano

21 mar

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

"Mistero Buffo"

SÃO PAULO – Toda obra de arte que possui histórias bíblicas é contada de forma reverente, certo? Errado. Mistero Buffo, uma comédia em tom satírico de Dario Fo, ganhou adaptação de Neyde Veneziano para o grupo LaMínima e estreia sexta-feira (22) no Teatro do Sesi-SP (Avenida Paulista, 1313). Em cena, vinte personagens são desdobrados pela dupla Domingos Montagner e Fernando Sampaio, tendo como parceiro sonoro, no palco, o ator (e também palhaço) Fernando Paz, com Marcelo Pellegrini na direção musical. Neyde Veneziano assina a direção e tradução, esta última em parceria com André Carrico. Esta estreia abre as comemorações de 15 anos, completados em 2012, de criação do grupo LaMínima.

São quatro pequenas histórias, escritas por Fo com inspiração em passagens da Bíblia, mas que subvertem a seriedade do assunto através de uma linguagem repleta de gírias, dialetos e situações, que se mesclam à estética de Dario Fo e à do palhaço. Os quadros que compõem o espetáculo são A Ressurreição de Lázaro, O Cego e o Paralítico, O Louco e a Morte e O Louco aos pés da Cruz. Mistero Buffo faz parte das comemorações do Momento Brasil-Itália e é uma produção do SESI-SP. A direção musical é de Marcelo Pellegrini, com trilha sonora executada ao vivo pelo Fernando Paz, que leva ao palco seu trompete, viola caipira, cavaquinho e até um serrote, instrumento típico do repertório musical dos palhaços.

Leia abaixo entrevista que Neyde Veneziano concedeu ao Aplauso Brasil.

Aplauso Brasil – Como surgiu a sua paixão pela obra de Dario Fo?

Neyde Veneziano – Em 1988 recebi de uma amiga que voltava da Itália o texto Arlecchino, de Dario Fo. Naquele momento, eu estava fazendo um curso de pós sobre commedia dell´arte e dava aulas na UNICAMP. Resolvi montá-lo com os alunos do último ano. O espetáculo fez muito sucesso e se apresentou durante dois anos, ganhando vários prêmios. Quase 10 anos depois fiz um projeto de pós-doutoramento para a Itália, a fim de pesquisar Dario Fo. Continue lendo

Adeus a Fernando Peixoto

15 jan

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Fernando Peixoto foi homenageado pelo Prêmio Shell de Teatro de São Paulo

SÃO PAULO – Acabo de chegar em casa após comemorar meu 37º aniversário entre família e me defronto com um triste e-mail dando a notícia que o  estre Fernando Peixoto, ator, diretor, teórico e um dos homens de teatro mais importante para as artes cênicas brasileiras da era moderna, morreu nesta manhã, aos 75 anos, no Hospital São Luiz, onde estava internado desde dezembro do ano passado por conta de um câncer no intestino.

Em comunicado, o ministro interino da Cultura, Vitor Ortiz, lamentou a morte do diretor. “O Brasil acaba de perder um dos maiores pensadores de teatro, o diretor, ator, escritor e professor Fernando Peixoto. Suas reflexões sobre o teatro internacional e sua contribuição ao teatro brasileiro na segunda metade do Século 20 foram fundamentais”, disse Ortiz na nota de pesar publicada no site do Ministério.

Abaixo você lê um texto emocionado e emocionante escrito pelo ator e dramaturgo Jair Alves. Continue lendo

Confira o quadro de Fernando Castioni inspirado em novela de Kafka

22 dez

A novela O Veredicto, de Franz Kafka, escrita em 1912, serviu de inspiração para o quadro desse grande pintor, Fernando Castioni, que reproduzimos abaixo.

Quadro de Fernando Castioni inspirado na novela "O Veredicto", de Franz Kafka

Espectador ganha o centro do palco em Cartas de Amor – Electropoprockoperamusical

2 dez

Maurício Mellone* (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Depois de se apresentar em Brasília e Rio de Janeiro no ano passado, o espetáculo chega à cidade para duas temporadas no CCBB, a primeira até o dia 15 de dezembro e no ano que vem, de 11 de janeiro a 2 de fevereiro

"Cartas de Amor - Electropoprockoperamusical" - foto Guga Melgar

SÃO PAULO – Uma experiência inusitada: o espectador entra no teatro do CCBB-SP e é encaminhado para o centro do palco, com pequenos módulos dispostos aleatoriamente no espaço, com folhas secas jogadas no chão. Ao redor, quatro telões de vídeo e dois quartos, cada um com cama e uma pequena estante com monitor de vídeo. Os atores recebem as pessoas e indicam onde devem se sentar. Percebe-se então que o público fica onde seria a sala daquela casa semi-abandonada. Aos poucos, os atores se dirigem aos espectadores e recitam pequenos versos de amor ao pé do ouvido. Pronto, o clima está estabelecido para que Cartas de Amor – Electropoprockoperamusical tenha início.

As 14 instalações musicais — rock, pop, MPB— tratam de relações amorosas e conduzem a peça. O roteiro e as letras das músicas, de Flavio Graff, foram criados a partir de histórias encontradas em cartas de amigos dos componentes do grupo, em feiras de antiguidades, além de poemas e referências pessoais de Graff, que também assina a direção ao lado de Emílio de Mello. Continue lendo