Tag Archives: la

Neyde Veneziano dirige LaMínima em comédia de Dario Fo

21 mar

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

"Mistero Buffo" - foto de Carlos Gueller

SÃO PAULO – Duas potências no quesito teatro cômico brasileiro, a diretora Neyde Veneziano e a trupe LaMínima (que celebra 15 anos de existência), encontram-se a partir de amanhã juntas em peça do italiano Dario Fo (leia-se Fó), Mistero Buffo, no Teatro Popular do SESI.

Num didatismo agradável, o público – parte dele disposto em arquibancadas armadas no palco que torna-se semi arena e dá o tom de espetáculo circense – recebe os atores-saltimbancos da companhia LaMínima, Domingos Montagner e Fernando Sampaio, acompanhados pelo ator convidado Fernando Paz que apresentam o que o público assistirá aquela noite, além de dizer de onde vem esse estilo teatral que Mistero Buffo representa: mistérios medievais tratados em tom satírico colhidos e transformados por Fo.

Episódios encontrados nas sagradas escrituras, como a ressurreição de Lázaro, tomam no texto dimensões de ácida crítica social. Continue lendo

Leia entrevista com Neyde Veneziano

21 mar

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

"Mistero Buffo"

SÃO PAULO – Toda obra de arte que possui histórias bíblicas é contada de forma reverente, certo? Errado. Mistero Buffo, uma comédia em tom satírico de Dario Fo, ganhou adaptação de Neyde Veneziano para o grupo LaMínima e estreia sexta-feira (22) no Teatro do Sesi-SP (Avenida Paulista, 1313). Em cena, vinte personagens são desdobrados pela dupla Domingos Montagner e Fernando Sampaio, tendo como parceiro sonoro, no palco, o ator (e também palhaço) Fernando Paz, com Marcelo Pellegrini na direção musical. Neyde Veneziano assina a direção e tradução, esta última em parceria com André Carrico. Esta estreia abre as comemorações de 15 anos, completados em 2012, de criação do grupo LaMínima.

São quatro pequenas histórias, escritas por Fo com inspiração em passagens da Bíblia, mas que subvertem a seriedade do assunto através de uma linguagem repleta de gírias, dialetos e situações, que se mesclam à estética de Dario Fo e à do palhaço. Os quadros que compõem o espetáculo são A Ressurreição de Lázaro, O Cego e o Paralítico, O Louco e a Morte e O Louco aos pés da Cruz. Mistero Buffo faz parte das comemorações do Momento Brasil-Itália e é uma produção do SESI-SP. A direção musical é de Marcelo Pellegrini, com trilha sonora executada ao vivo pelo Fernando Paz, que leva ao palco seu trompete, viola caipira, cavaquinho e até um serrote, instrumento típico do repertório musical dos palhaços.

Leia abaixo entrevista que Neyde Veneziano concedeu ao Aplauso Brasil.

Aplauso Brasil – Como surgiu a sua paixão pela obra de Dario Fo?

Neyde Veneziano – Em 1988 recebi de uma amiga que voltava da Itália o texto Arlecchino, de Dario Fo. Naquele momento, eu estava fazendo um curso de pós sobre commedia dell´arte e dava aulas na UNICAMP. Resolvi montá-lo com os alunos do último ano. O espetáculo fez muito sucesso e se apresentou durante dois anos, ganhando vários prêmios. Quase 10 anos depois fiz um projeto de pós-doutoramento para a Itália, a fim de pesquisar Dario Fo. Continue lendo

Lucélia Santos apresenta texto de Jô Bilac no SESC Belenzinho

9 nov

Adriano Oliveira, especial para o Aplauso Brasil ( adriano@aplausobrasil.com)

Pedro Neschling dirige a mãe

SÃO PAULO – A atriz Lucélia Santos traz, a partir de sábado (12), Alguém Acaba de Morrer lá Fora, de Jô Bilac (cujos textos Serpente Verde, Sabor Maçã e Limpe Todo o Sangue Antes Que Suje o Carpete, estão concomitantemente em cartaz na cidade), no SESC Belenzinho, sob direção de Pedro Neschling, filho da atriz.

Uma comédia com toques de violência é a base da trama que apresenta três personagens, estranhos uns aos outros, que se encontram em um bar-café. Cada personagem está à espera de alguém. Cláudio (Ricardo Santos), um homem solteiro, em busca de um amor; Laura (Lucélia Santos), uma mulher misteriosa, espera acertar as contas com certo alguém prestes a chegar, e Marcela (Vitória Frate), professora de inglês frustrada com a vida, espera sua irmã.  Com o trio da peça, o autor deseja criticar a superficialidade das relações humanas.

A atriz Lucélia Santos conta ser em Alguém Acaba de Morrer lá Fora conta que será a primeira vez que ela e o filho se encontram no teatro. Continue lendo

Seleção de voluntário para espetáculo do La Fura dels Baus

12 nov

O catalão La Fura dels Baus apresenta "Cielos Arte" dia 04 de dezembro no Memorial da América Latina

Até o dia 25 de novembro, estão abertas as inscrições para homens ou mulheres, com idade mínima de 18 anos, que desejem participar, como voluntárias, do espetáculo “Cielo Arte“, do grupo catalão La Fura dels Baus.

Os La Fura del Baus são um grupo de teatro catalão que se notabilizou pelos seus espetáculos polêmicos e visualmente poderosos.

Fundado em 1979, o grupo começou por fazer  de rua, adquirindo visibilidade com a peça Lenguaje Furero (1983), inserida num ciclo mais amplo de espetáculos apelidado de Accions.

Com estes espetáculos, imprimiram um novo conceito teatral alicerçado na utilização de numerosos recursos cênicos como música, dança, pirotecnia, uso de materiais naturais e interação com o espetador, criando uma simbiose entre ator e autor, fundindo-se numa mesma criação coletiva.

Perfil:

* Homens e Mulheres – Maiores de 18 anos

Pré – Requisitos:

* Não ter medo de altura – Todo o espetáculo será a 30 metros de altura.

* Não ter problemas de tontura.

* Não ser claustrofóbico

* Ter noções de circo, perna de pau, acrobacias, dança, ginástica olímpica,
movimento corporal em geral.

Cronograma:

1 dia de workshop com os integrantes do La Fura dels Baus

3 dias de ensaios

1 dia de apresentação – Dia 04/12/2010

Local:

Memorial da América Latina

* Será oferecido aos participantes:

Ajuda de custo para transporte em espécie

Alimentação durante o período dos ensaios

Certificado de participação assinado pelo Diretor Fundador do La Dels Baus

* Inscrições:

Até 25/11/2010

Encaminhe seu CV e Foto para: <mailto:elenco@kabukiproducoes.com.br>
elenco@kabukiproducoes.com.br

Juliana Costa e Alice Wolfenson

Produção de Elenco

julianacosta.produtora@gmail.com

O lirismo da solidão crua em texto de Koltès

25 jun

Célia Musilli, da Imprensa do FILO – Festival Internacional de Londrina 2010

O argentino Mike Amigorena vive personagem de Koltès em monólogo que desnuda emoções

O ator argentino Mike Amigorena

“Um personagem que tem características com as quais todos se identificam”, assim o ator argentino Mike Amigorena define seu papel no espetáculo La Noche Antes de Los Bosques, que estréia nesta sexta (25), com reapresentação amanhã (26), no Teatro Ouro Verde, às 20h30.

O personagem vive angústias existencialistas no monólogo criado pelo francês Bernard-Marie Koltès (1948-989), considerado um dos dramaturgos contemporâneos mais encenados em todo mundo e que só foi ao teatro, pela primeira vez, quando tinha 21 anos e saiu impactado com um versão de Medeia. Continue lendo

Mônica Martelli de volta a São Paulo

8 abr

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

Mônica Martelli em cena

Ela está de volta a São Paulo com a sua deliciosa comédia que completou cinco anos em cartaz e foi vista por mais de um milhão de espectadores. Mônica Martelli volta a São Paulo, onde nos anos de 2007 e 2008 reinou absoluta no palco do Teatro Procópio Ferreira, no Teatro do Shopping Frei Caneca nesta sexta-feira (9).

Sua peça Os Homens são de Marte… E é pra lá que eu vou! trata do grande dilema vivido pelas mulheres solteiras: a busca de um grande amor. Toda mulher já foi, é, ou será protagonista desta história de aventuras, encontros, desencontros, solidões, equívocos, adrenalinas, ilusões, alegrias, dúvidas. Continue lendo

Bob Wilson e Patrice Chéreau apresentam formas teatrais paralelas que se bifurcam na diversidade contemporânea

16 set

Isabelle Huppert é a Marquesa de Merteuill em <i>Quartett</i>

Isabelle Huppert é a Marquesa de Merteuill em Quartett

Crítica de Michel Fernandes, especial para o Último Segundo(michel@aplausobrasil.com)

 

SÃO PAULO – Interessante pensar a forma do teatro apresentado por Bob Wilson – Quartett – e Patrice Chéreau – Le Grand Inquisiteur e La Doueleur –, atrações teatrais bastante aguardadas no Ano da França no Brasil, cujo patrono oficial é Danilo dos Santos Miranda, diretor regional do SESC São Paulo, instituição cujo mérito tem o aval de excelência de toda nossa classe artística.

 

Os trabalhos apresentados sob a regência dos dois diretores representam dois pólos opostos das artes cênicas, duas paralela que e bifurcam e, fundidas, simbolizam a diversidade que o palco comporta na forma de fazer arte.

  Continue lendo