Tag Archives: mello

Comédia de suspense volta a ser encenada

11 jan

Henrique Stroeter, Dan Stulbach e Danton Mello em "Os 39 Degraus"

Maurício Mellone, para o site Favo do Mellone parceiro do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Depois do sucesso do ano passado, Dan Stulbach, Danton Mello, Henrique Stroeter e Fabiana Gugli retornam ao Teatro Shopping Frei Caneca

Esse ano em São Paulo, ao contrário de anos anteriores, a temporada teatral logo na primeira semana de janeiro começou com estreias e re-estreias. Talvez em virtude de o Carnaval 2011 acontecer somente em março, as companhias e os produtores de teatro resolveram encurtar as férias de fim de ano e o público paulistano já pode curtir as novidades do palco ou assistir a sucessos do ano passado.

É o caso da comédia de suspense Os 39 Degraus, de Patrick Barlow, que voltou ao cartaz no Teatro Shopping Frei Caneca, no último final de semana, com temporada prevista até 13 de março. Em quatro meses de temporada em 2010 foram mais de 70 mil espectadores e pelo que se viu nessa reestréia, outros tantos irão conferir a comédia, baseada no filme de Alfred Hitchcoock, que ganhou tradução de Clara Carvalho e Alexandre Reinecke, que também é o diretor da peça. Continue lendo

“Mambo Italiano” diverte o público

10 jan

Maria Lúcia Candeias, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Comédia está em cartaz no Teatro Nair Belo

A platéia morre de rir com a peça Mambo Italiano, de Steve Galluccio, que acabou de estrear no Teatro Nair Bello, no Shopping Frei Caneca. E não é pra menos, já que a direção de Clarice Abujamra ocupa o espaço teatral com grande habilidade, a ponto de, mesmo sendo um palco bastante amplo, sente-se muita proximidade com as personagens e suas falas.

Afinal é um elenco de primeira linha, visto que inclui Antonio Petrin, Cláudia Mello, Tânia Bondezan. Isso, além dos mais jovens e talentosos como Carla Fioroni, Jarbas Homem de Mello, Luciano Andrey e Lára Córdula. Continue lendo

In On It desvela o processo de criação teatral

11 jul

Kiko Rieser, especial para o Aplauso Brasil (kikorieser@aplausobrasil.com)

IN ON IT no Teatro Eva Herz até 1º de agosto

In on it não é um espetáculo assinado pela Cia. dos Atores, mas poderia muito bem sê-lo. É dirigido por Enrique Diaz, diretor e fundador da Cia., e tem atores e iluminador que já participaram de diversos espetáculos do grupo carioca. Mas, mais importante, In on it se encaixaria perfeitamente (ainda que trazendo novidades) no percurso que a Cia. desenvolve há mais de vinte anos.

Basta ver as obras de seu repertório para notar que se tratam de trabalhos com enorme coerência estética entre si, pertencentes a um programa artístico dos mais bem definidos entre os grupos brasileiros. O nome da Cia. já evidencia um pouco da práxis a que ela se propõe: refletir sobre o ator, sua condição dentro do processo de criação de um espetáculo, seu trabalho sobre um texto teatral pré-existente e sua ação sobre o mundo. Continue lendo

In On It volta a São Paulo

7 maio

Michel Fernandes, para o Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Emílio de Mello e Fernando Eiras em In on It

Depois de temporadas de sucesso – ano passado no Rio de Janeiro e de janeiro a abril deste ano no Teatro FAAP, em São Paulo –, o espetáculo In On It, de Daniel MacIvor, direção de Enrique Diaz.

Vencedor do Prêmio Shell de Teatro do Rio de Janeiro nas categorias de Melhor Ator (Fernando Eiras) e Direção (Enrique Diaz), In On It faz jus a todos os louros recebidos, seja pela crítica, público e em relação aos prêmios recebidos, vez que a simplicidade escora-se num espelho infinito em que o talento é o principal reflexo.

A trama de MacIvor casa perfeitamente bem com a forma estética, da metalinguagem, desenvolvida ao longo de quase 20 anos na Companhia dos Atores, do qual Diaz é um dos alicerces. Dois personagens, simplesmente Esse Aqui e Aquele Ali, participam de uma trama em que evidencia três camadas: a sala de ensaio em que um deles escreve uma peça com as interferências do outro, a peça em si que encenam numa espécie de criação vertical do texto e a memória da relação afetiva desses dois personagens. E a preocupação de Enrique Diaz em não segmentar a peça no nicho de “peça gay” tem todo sentido, pois a peça vai além da sexualidade, focando na relação afetiva que, no caso, é entre homens. Continue lendo