Tag Archives: rei

Audições para O Rei Leão

25 abr

SÃO PAULO – A Time For Fun (T4F) seleciona o elenco do musical O Rei Leão, superprodução da Disney, que estreia dia 07 de março do ano que vem, no Teatro Abril. Confira abaixo os requisitos e cronograma das audições.

1ª audição:

  • São Paulo – 04 a 08 de junho de 2012
  • Rio de Janeiro – 10 a 12 de junho de 2012
  • Salvador – 13 a 16 de junho de 2012

Buscamos cantores e cantoras, de 17 a 40 anos, que possuam boa flexibilidade corporal. Pedimos que prepare uma música padrão R&B / ROCK, que mostre a voz e alcance vocal. É necessário trazer a partitura da música escolhida para que o pianista da produção execute na audição. Não será aceita nenhuma das canções do espetáculo “O REI LEÃO”.

Para os papéis listados abaixo é necessário preparar uma performance livre apropriada para o personagem.

NÓS ENCORAJAMOS FORTEMENTE A PARTICIPAÇÃO DE ATORES DE TODAS AS ORIGENS ÉTNICAS.

PERSONAGENS

hyenas HIENAS – SHENZI (feminina), BANZAI (masculino) e ED (masculino)

Personagens entre 20 e 40 anos para interpretar hienas engraçadas e maníacas. Malandras e urbanas. O ator tem que possuir uma forte voz de rock n’roll, se mover com agilidade e ter facilidade para manipular bonecos. ED também é cover de TIMÃO e ZAZU.

mufasa MUFASA

Ator para interpretar o Rei das savanas africanas, um leão entre 30 e 40 anos. Onipotente, poderoso e nobre. Deve ter força física e uma excelente e rica voz de barítono. Continue lendo

T4F traz O Rei Leão em 2013

23 abr

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil/ iG (Michel@aplausobrasil.com)

Musical inspirado em filme da Disney estreia em março do ano que vem

SÃO PAULO – Aos inimigos do teatro musical vai um aviso: não adianta mais torcer o nariz, esse gênero é algo a se prestar a atenção, na formação de novos artistas, por se fixar no escasso mercado de trabalho teatral. Prova disso é que a Time For Fun (T4F) anuncia a produção que trará ao Teatro Abril em 2013: a aguardada versão brasileira de O Rei Leão.

Produzido pela Disney Theatrical Productions, a versão musical do desenho homônimo, também da Disney, estreou na Broadway, onde em 1998 conquistou seis prêmios Tony (espécie de Oscar dos musicais), e nesses quinze anos de sucesso e recordes – é o título de maior bilheteria da história da Broadway – alcanço os cinco continentes e 15 montagens por todo o mundo. Continue lendo

Cibele Forjaz abre ensaios de novo espetáculo da Cia. Livre

7 fev

Redação do Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

A diretora Cibele Forjaz

SÃO PAULO – A Cia Livre, de Cibele Forjaz, faz ensaio aberto do novo espetáculo A Travessia da Calunga Grande, nas duas próximas quintas-feiras (9 e 16), às 18 horas, no Galpão do SESC Pompeia e na Casa Livre, respectivamente.  A peça estreia para público dia 9 de março, no Galpão do SESC Pompeia.

Com dramaturgia de Gabriela Almeida, em processo colaborativo com a Cia. Livre e direção artística de Cibele Forjaz, a peça é baseada em Édipo Rei, de Sófocles, sob a ótica das relações entre África e Brasil.

O espetáculo e o projeto de pesquisa, tem patrocínio da Petrobrás e é contemplado pelo Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo.

Oswald de Andrade inspira musical protagonizado por Renato Borghi

25 out

Mauricio Mellone* (aplauso@gmail.com)

Patrícia Gasppar e Renato Borghi em "Que Rei Sou Eu?"

Com roteiro e direção de Elias Andreato, o espetáculo Que Rei Sou Eu? traz músicas de diferentes épocas recheadas com textos do mestre do modernismo. Renato Borghi divide o palco com Patrícia Gasppar e o maestro Jonathan Harold

De maneira despretensiosa, Elias Andreato criou o musical Que Rei Sou Eu? para reverenciar o teatro musical brasileiro, tão criativo e popular nos anos 30 e 40 do século passado. No roteiro, escrito especialmente para o ator Renato Borghi que está completando 53 anos de carreira, Elias mescla textos poéticos e irônicos inspirados na obra do modernista Oswald de Andrade com mais de 20 músicas de diversas épocas, todas tendo como foco o povo brasileiro e sua cultura. No palco aconchegante do Teatro Eva Herz, Renato com figurino estilizado de um monarca divide as canções com Patrícia Gasppar e o maestro Jonathan Harold, que assina a direção musical e os arranjos.

Intitulado como musical antropofágico, o início é justamente com a canção Que Rei Sou Eu, de Francisco Alves, que dá nome ao espetáculo. Numa cadeira que tem a função de trono, rei Renato vai discorrendo textos irônicos e poéticos que retratam o povo brasileiro e nossa história. Continue lendo

Ocidente ou oriente: Eis a questão

4 maio

Michel Fernandes, do Aplauso Brasil (michel@aplausobrasil.com)

Pedofilia é um dos temas de POR QUE A CRIANÇA COZINHA NA POLENTA

Neste artigo, cujo objetivo é promover um diálogo com o leitor, a partir de algum tema provocativo oriundo das reflexões sobre algum espetáculo, convido você, leitor, a refletir comigo sobre a questão premente em dois espetáculos em cartaz, Por Que a Criança Cozinha na Polenta, dirigido por Nelson Baskerville, e O Rei e Eu, musical assinado por Jorge Takla: quais os méritos e deméritos das civilizações oriental e ocidental, de acordo com o enredo destes espetáculos?

O livro autobiográfico da romena Aglaja Veteranyi, Por Que a Criança Cozinha na Polenta, serve de base ao espetáculo homônimo, apresentado apenas às terças-feiras no Espaço dos Parlapatões, fala sobre uma família circense exilada no Ocidente, em busca de uma realidade diferente da miserável que assola o país de origem, em que impera o duro regime “stalinista” do ditador Ceaucescu. Continue lendo

O Rei e Eu é de encher os olhos

14 abr

Maria Lúcia Candeias, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Cena de O REI e EU

A beleza do espetáculo O Rei e Eu, assinado por Jorge Takla, em cartaz no Teatro Alfa, além de encher os olhos, faz com que se corra o risco de sair babando e até mesmo de queixo caído.

Não dá pra descrever o encanto dos cenários (Duda Arruk), dos figurinos (Fábio Namatame), iluminados com total perfeição (Ney Bonfante). Continue lendo

O Rei e Eu, de Takla, transborda maturidade cênica

5 abr

Afonso Gentil, especial para o Aplauso Brasil (aplausobrasil@aplausobrasil.com)

Os filhos do rei do Sião são ensinados pela inglesa Anna

O velho estigma que sempre perseguiu o teatro musical como mero, senão vulgar, entretenimento, fulminado sem dó como antítese de arte, cai por terra diante da monumentalidade de uma montagem como esta em cartaz no Teatro Alfa, O Rei e Eu, que tem desafiado a crítica na reciclagem de superlativos usualmente recorridos diante da excepcionalidade.

De perene carreira mundial desde o distante ano de 1951, quando lançado na Broadway,  com Yul Brynner e Gertrude Lawrence, este musical dramático (mas, bem humorado) foca um rei – Mongkut – bom, inteligente e fascinado por ciência e tecnologia, em dificuldades por acusação de práticas escravagistas (seculares) no relacionamento com o seu povo. Mas, lá no seu distante Sião (hoje, Tailândia), no anseio de ensinar aos seus inúmeros filhos as práticas educacionais e etiquetas de convívio em sociedade, o Rei contrata professora inglesa para esse serviço. Isso, no fim do século 19, a partir de uma fantasiosa (porém, deliciosamente crítica) autobiografia de Anna Leoowens (a professora), que até hoje não é bem encarada pelas autoridades tailandesas.

E aqui, um nome precisa ser devidamente valorizado:

o do produtor e diretor Jorge Takla, um raro caso de homem culto, inteligente, de bom gosto…e rico! Continue lendo

Veja uma galeria de fotos do musical O Rei Eu

16 mar

Superprodução musical dirigida, por Jorge Takla, tem belíssimos figurinos de Fábio Namatame e cenografia de Duda Aruk.

[nggallery id=2]

O Rei e Eu em superprodução dirigida por Jorge Takla

26 fev

Luís Francisco Wasilewski, especial para o Aplauso Brasil (lfw@aplausobrasil.com)

Superprodução musical O REI E EU estreia no Teatro Alfa

Superprodução musical O REI E EU estreia no Teatro Alfa

Após temporadas bem-sucedidas de público e crítica com musicais como My Fair Lady e West Side Story, a Takla Produções apresenta pela primeira vez no Brasil o musical O Rei e Eu, de Richard Rodgers e Oscar Hammerstein II (A Noviça Rebelde). Dirigido por Jorge Takla e com direção musical do maestro Jamil Maluf, O Rei e Eu estreia em São Paulo no próximo sábado (27), no Teatro Alfa e cumpre temporada até 08 de agosto, com sessões de quinta a domingo.

A montagem nacional chega com a versão assinada por Cláudio Botelho, o que já demonstra um traço qualitativo do espetáculo. Cabe ao ator Tuca Andrada o papel do Rei e a atriz Cláudia Netto o da professora de inglês, Anna. Ainda no elenco, estão a cantora lírica Luciana Bueno, interpretando Lady Thiang, mãe do príncipe herdeiro, Luciano Andrey, Bianca Tadini, Daniela Vega, Mauro Sousa, Ubiracy Brasil, Adalberto Halvez, Gustavo Lassen, Fábio Barreto, Newton Saiki, Daniel Paulin, Renan Cuisse e Júlio Oliveira, além de outros 50 atores, sendo 15 crianças, acompanhados por uma orquestra de 22 músicos, conduzidos por Jamil Maluf.

No palco, o Sião do século 19 inspira os dez cenários idealizados por Duda Arruk. O espetáculo conta ainda com 550 figurinos orientais e ocidentais de Fábio Namatame e o visagismo assinado pelo célebre maquiador Duda Molinos. Já Tânia Nardini, que assina a coreografia, viajou a Bangkok para pesquisa de danças, modos e costumes da Tailândia.  As coreografias de O Rei e Eu são,em sua maioria, inspiradas no original de Jerome Robbins. Continue lendo